Lucas Neves

De nuvem
Revisão de 23h10min de 30 de janeiro de 2012 por Lucas (Discussão | contribs)

Ir para: navegação, pesquisa

"No momento, sentado sob um jovem limoeiro- o cheiro doce de suas flores brancas exige uma condiçao para ser percebido: parar. Sentar sem pressa, sem a intranquilidade que nos priva de viver o aqui e agora, sem a inútil preocupaçao por um futuro que nunca chega como queremos nem a nostalgia do momento que passou." Hiroshi Seó, (Manual de Agricultura natural, unidade da Vida)


Na sociedade "moderna"

Hoje sou escravo das sensaçoes Vivo no inferno das ilusoes Sacio minha cede com prazer E quanto mais eu bebo mais cede passo a ter

Amanha vou me libertar Pra ver o meu dia chegar Livrarei-me de todas as correntes que prendem minha mente Por que eu cansei de ser dependente

Fato é, que nessa realidade Sou dependente da "felicidade", sentimento ideal Que eu busco sem nem saber se é verdade Só pra fugir do mundo material Em meio a pensamentos confusos Vou vagando tentando me encontrar Só pra ver um dia o amanha raiar.

"Felicidade"... Que porra é essa de felicidade? Já viu? Já sentiu? Já se iludiu? Entao, nao é isso nao Isso que se sente é vao Vao preenchido de ilusao


O amanha! O aqui e agora! Viver diferente Ser diferente Vem ver o diferente!

Nuvem... Recanto de gente Que canta com a mente Vibracao diferente.

Residência com ciência Compartilhar, trocar O contido na mente Receber e doar continuamente Expande a consciência


Na janela do conhecimento A luz se faz, mas só em momentos Pois, o caminho pro saber é estreito E é no escuro que temos esse direito

Chuva... Limpa o céu e cai na terra Tudo o que traz será vegetal Tudo que se come será animal Nascer, crescer e morrer Ciclo de um só ser

horta... Prazer de ser Plantar e colher Dentro de você Faz seu ser

Equilibrio na fita, Equilibrio na vida