Mudanças entre as edições de "Economias Subversivas"

De nuvem
Ir para: navegação, pesquisa
Linha 1: Linha 1:
   
+
 
 +
==Documentação==
 +
 
 +
Documentação temporária
 +
[https://pad.riseup.net/p/economia_subversiva]
 +
 
 +
==Participantes==
 +
 
 +
==Chamada==   
  
 
                                
 
                                

Edição das 21h32min de 2 de dezembro de 2016

Documentação

Documentação temporária [1]

Participantes

Chamada

No começo de dezembro a Nuvem vai organizar o encontro Economias Subversivas. Durante 5 dias estaremos compartilhando novas maneiras de fazer trocas, investir, descrescer e financiar ações e projetos, num ambiente de imersão. Se você tem uma ideia ou uma experiência que gostaria de compartilhar, leia a chamada e se inscreva. Serão convidadas 5 a 7 pessoas de qualquer parte do Brasil com passagem, alimentação e hospedagem.



Há décadas, desde a hegemonia do modelo neoliberal, os governos e populações se tornaram subordinados aos grandes grupos financeiros. Mesmo com eleições regulares, os representantes escolhidos pouco podem fazer – ou querem fazer - em relação a esse arranjo de poderes. Na crise especulativa de 2008, foi a população que teve de pagar o resgate das instituições financeiras, enquanto até os bônus dos CEOs das corporações delinquentes foram mantidos.

É evidente que as tecnologias vem criando novas configurações na economia. Mas os modelos de negócio baseados no financiamento e venda de start-ups são controlados inteiramente pelos mesmos grupos financeiros de sempre. Por mais que o Uber crie novas oportunidades de emprego, eses empregos tem a fragilidade precária de depender da estratégia da empresa, que sobe ou desce taxas sempre que lhe convém . Por outro lado, os investimentos iniciais para montar uma alternativa são altíssimos – o capital de risco financia as viagens baratas oferecidas com o objetivo de dominar mercados “virgens”.

O encontro Economias Subversivas quer investigar ideias e iniciativas que desmontem os modelos existentes. Os startups “disruptivos”, em sua maioria, só fazem reforçar sistemas de controle financeiros e concentrar ainda mais a renda em estruturas hierarquizadas e fechadas. Acreditamos que a economia pode ser plataforma e tubo de ensaios para criatividade de qualquer um. Afinal as finanças são baseados no crédito, que nada mais é do que a ideia de emprestar bens à base de confiança, e, opcionalmente, de uma compensação. Das grandes navegações e os primeiros bancos até os fundos hedge e as criptomoedas, toda economia se baseia nessa premissa.

Procuramos projetos que sejam sustentáveis economicamente, mas controlados pelas comunidades e que as beneficiem. A difusão e barateamento da tecnologia possibilitam que apareçam soluções locais. A geração de energia, produção de alimentos, comunicação, transportem já prescindem dos grandes modelos verticais. Porque continuamos a depender das megaempresas de infraestrutura? Porque as células produtivas continuam a ser baseadas no empreendedorismo centralizador, hierárquico, voltado para enriquecimento pessoal, enquanto os modelos cooperativos se tornam cada vez mais difíceis de realizar?

Queremos alternativas para as moedas, para os bancos, financiamentos e investimentos. O modelo econômico baseado no crescimento do PIB atingiu o limite planetário de produção de bens. Produz-se alimentos suficiente para 10 bilhões de pessoas, enquanto quase dez por cento dos 7 bilhões de humanos passa fome.

Nesse encontro, serão selecionadas 5 a 7 propostas, ideias, elucubrações – práticas ou teóricas, ficcionais ou em andamento – que queiram subverter a ordem econômica existente através de microprojetos, romances, instalações, startups cooperativos, criptocréditos, arranjos produtivos, mercados de trocas, etc. Durante os 5 dias do encontro, os selecionados irão interagir com os convidados – pessoas que já realizaram projetos similares, ou que tem estudos sobre o tema – sobre a viabilidade, potenciais e fraqueza do seu projeto. A Nuvem oferece transporte, alimentação e hospedagem para todos os participantes. A hospedagem é na própria casa do encontro, em quartos coletivos mistos com 4 pessoas cada, no máximo; a alimentação é vegetariana.


Além da chamada para o encontro, convidaremos em breve a enviar textos em torno do tema, de até 30 laudas, para uma publicação com lançamento no começo de 2017.


Inscrições

As inscrições para o encontro já estão encerradas.


Referências

Alguns links de referência e inspiração:

http://www.sindominio.net/eldinerogratis/

https://www.thephone.coop/about-us/who-we-are/

http://www.shareable.net/blog/fork-the-economy

http://thinkeconomia.com/pdf/openCallEconomia.pdf

https://medium.com/@trebors/platform-cooperativism-vs-the-sharing-economy-2ea737f1b5ad#.oq2occhfl

http://www.shareable.net/blog/enspiral-changing-the-way-social-entrepreneurs-do-business http://enspiral.com/about-enspiral/faq/

http://loophole4all.com/

http://disobedience.eu/

http://www.shareable.net/blog/new-ridesharing-alternatives-thrive-after-uber-leaves-austin

https://flinc.org

https://www.gocarma.com

http://colivre.coop.br/sobre/

http://miamirail.org/visual-arts/new-business-art-in-search-of-alternative-economic-systems-2/ - Justine Ludwig

http://bhaz.com.br/2016/09/19/gasolina-paga-com-papel-ungido-por-cristo-vira-caso-de-policia-em-posto-de-combustivel/

http://www.noitosfera.com/rm/s02/e06


Apoio

Essa atividade tem o apoio da Fundação Ford. Ford.png