Tainá buzzatti

De nuvem
Ir para: navegação, pesquisa

Como cheguei no Interactivos?'13: panorama de meus ultimos 3 anos

2011

Desenvolvimento espiritual a partir da alquimia do alimento, articulada com a prática do yoga e capoeira angola. Aconteceu a partir de um incomodo com meu corpo, que motivou uma escolha; era uma escolha de restricao alimentar.... Meio do ano: congresso de Pedagooogia 3ooo [1] - capacitacao do mestre interior, contato com muitas praticas de auto conhecimento em coletivo, como danças circulares, renascimento, jogos, rodas de partilha em geral e contato com educadores de todo Brasil.

Segundo semestre: ocupario - vivência de ocupação urbana, experimentação da democracia e da auto gestão e da co-criacao + Nova Terra, contato com família arco-iris

Diria que nesse ano, minha rede de contatos triplicou =)
Reunião GT Educacao Ocupario


Formatura 3ano ensino médio. Virada do ano: chapada diamantina, um mês de criação de meus processos de aprendizagem =)

2012

Volto da Bahia e começo a UniRio, Pedagogia. Depois de um mês, inquietação. Já queria sair (tantas coisas iradas acontecendo fora: HUB escola, GT cúpula dos povos, perto da cúpula dos povos). Quando... graças aos céus: GREVE!! Pude ficar tranquila durante a cúpula dos povos, participar ativamente! Achei que fosse sair supeer engajada mas não, lembro da semana seguinte, não tinha naada! Até que vi no facebook uma foto de um pessoal da unirio fazendo uns banheiros secos! Pirei e no dia seguinte fui ver. Passei três meses direto na casa. Se tratava de uma ocupação desse espaço abandonado, subutilizado pela Unirio.

Fiz laços profundo, formação de família, "o reencontro de uma família espiritual" Sinergia da Casa da Bruxa [2] Foi e é um espaço acolhedor de experimanteção Foi um período intenso de experimentação de livre aprendizagem, aprendizagem em coletivo, interdisciplinar e significativa;

Segundo semestre: viagem por Minas com meu companheiro, na qual articulamos uma vivencia de uma semana numa comunidade (de sangue/familiar) tradicional. Também visitamos Figueira, uma comunidade com foco no desenvolvimento espiritual. Finalizamos no IV ENGA, na universidade de Viçosa.

Enfim, a Casa da Bruxa supriu uma necessidade de vivencia em comunidade, livre experimentação e aprendizagem significativa =) Me deu certa experiencia em gestao coletiva de um espaço e me desafiou, manteve viva, ativa! Permitiu desenvolver meu potencial humano e me expressar com autenticidade. Um bruxo que passou por aqui também Lucas Neves =)

2013

Aiá Corpoético


2014

Lançamentos da Primavera

No Interactivos

Me propus essa vivência tendo em vista meu estudo sobre educação e o desejo de entender a aprendizagem colaborativa. Me fiz então, o desafio de colaborar no projeto que menos dominava e... voilá!

Também vi no Interactivos uma maneira de me aproximar de um universo que nunca tive contato além do superficial e/ou automático, embora me rodeie e seja utilizado por mim: o universo das tecnologias artificias (poderia dizer assim?). Considero esse aprofundamento fundamental, como terráquia do século XXI que sou e como pedagoga e "educadora do novo mundo" que serei.

Além disso, hehe, por uma necessidade de aliviar a pressão que acontece nessa condição de estudante autônoma de ser a principal força motriz para que um processo de meu interesse inicie.

patinando no universo da eletronica, programação, cinernética. Tecnologia...

Achei que seria apenas o desafio de aprender algo que sempre tive resistência com, mas não. Depois das apresentações dos cinco projetos (momento em que os fluxos - atenções de todxs - estavam confluídos) sssroooom: cada um, já cheio de seus interesses foi interagir de maneira livre e distribuída. E eu achando que cada projeto faria seu grupinho, iria para um canto conversar e planejar as ações... Assim, me vi num lugar que entendo como a livre aprendizagem.

Gradeço muito por esse acontecimento (valeu Iris, valeu Elle! - proponentes do projeto)pois me fez encarar, depois de conflitos internos e trabalhos empáticos comigo mesma, que para aprender preciso saber o que desejo aprender (nesse lugar da livre aprendizagem, da não-diretividade), e consequentemente assumir uma postura ativa no processo. Tive a oportunidade de questionar por quê estava ali e ...

Bom, experimentei por um tempo (duas tardes) estar no meio de conversas das quais não entendia metade dos termos principais, tentava me incluir, consegui formular algumas perguntas mas ainda bem distante de uma compreensão. Decidi (na verdade isso decidi durante a apresentação dos projetos) fazer um dicionário dos termos que desconhecia. (Recomendo) =)

caminhando no universo da eletronica, programação, cibernética. Máquinas...

Escrevi alguns processos que poderia fazer para facilitar minha aprendizagem: processos férteis (Recomendo) =)

entender como uma máquina funciona. Ex: impressora 3d, computador, fogão (o fogão quebrou e foi um mecânico concertar, observei e troquei uma ideia o senhorzinho =);

sentar com alguém que possa me apresentar às peças (componentes eletrônicos no caso);

descobris de quê materiais são feitos os componentes;

conferir: recapitular o processo;

plantando bananeira no universo da eletrônicas, programação, cibernética. Linguagem!

Nos adentramo no universo da tecnologia na esperança e audacidade de " aceleração do tempo e diminuição das distâncias"

percepções do Campo Emocional

Nesta manha de quarta feira #dia18, durante o café, ressurgiu uma conversa entre joaquim, renata, felipe, eu, surian, hiure, cheia de inquietações sobre o movimento ecologico/ambientalista, mas manifestadas atraves de argumentos e defesas. (Add questoes) Nao estava contemplada com essa conversa, com a falta de visao comum e caindo sempre no mesmo argumento que nao estava levando a lugar algum. Elaborei tres perguntas* e propus uma dinamica, a do bastao da fala. Conseguimos fazer uma rodada, com a primeira pergunta, e foi super esclarecedor =) teve algumas interrupções, mas nao foram alimentadas. (O bastão da fala é também um exercicío de escuta)

Perguntas*: quais sao minhas necessidades nao atendidas/contempladas, com relacao ao movimento ecologico/ambientalista?

como é o cenário "alpha"/ideal, que me faria afirmar: Opa! Ta rolando!

quais são suas preocupações, com relação (...) ?

Falas

Tainá: mobilidade - para trabalhar junto; Renata: autonomia e independencia - um espaço autonomo, um chão, onde as relações sejam de igual pra igual. Luiz: (respondeu a segunda pergunta também) comunicação - muitas pessoas alienadas... Disseminar, chegar nas pessoas e articular, identificar... Botar um novo tipo de idéia; Joaquim: o mesmo que Luiz; Felipe: conseguir comida de qualidade, informaçao aberta, saber fazer as coisas - percebi que depois de um tempo a gente começão e se distanciar das coisas e a nao saber fazê-las mais... Fico impressionado que em plena Era da informação, ela está fechada... Ah, e também a necessidade de viver num coletivo, ou seja, atender essas necessidades em coletivo; Surian: de ter organismos vivos autonomos, que eu possa transladar entre eles, fluxo de pessoas que possibilita o intercambio e a renovação.. Mas também, cada espaço fisico necessita de trabalho constante, diário. Protagonismo.... Que um consiga adentrar num coletivo e tr espaço, ser escutado...


Narrativa coletiva: Uma cubana chegou ao RJ para morar. Ela era uma pessoa integra, comvicta em seus propositos e capaz; Ela foi em lugares.... Encontrar pessoas... Queria criar um coletivo comunista; Até que foi passar um fds no mato e encontrou uma menina, humana-buchinho, que morava numa caverna, nao usava roupas e coletava frutos por ali para se alimentar. Sempre que via uma pessoa, fugia. Mas dessa vez nao. Ficaram se olhando; E iniciaram uma comunicação telepática. Durante toda sua relação, nao trocaram uma só palavra. Voces podem me perguntar: como elas tinham uma relação sem falas? A relação, na verdade, é constituida por acontecimentos, realizações em conjunto; Ela começou a viver a realidade dessa menina, se fazendo vários questionamentos. ... E quando ela viu, já tinham passado três anos que ela tinha ido passar o fds lá. E lembrou de seus envolvimentos


Também neste dia, após a reunião sobre as partidas e limpeza do espaço, foi exposto um conflito que aconteceu na noite anterior, para ser trabalhado. Começamos escutando as partes que desejavam falar. Todos com a escuta bem presente. O que ficou registrado para mim e aprendi foi que devemos cuidar para que as questões do ambito coletivo não sejam descontadas no ambito pessoal.

Proposições sobre Educação, a partir dessa vivência

A transdiciplinaridade é fundamental!

"Quando afirmo - é - me pergunto: 

Aprender pode ser conviver ao menos por um dia



Qual a grande contradicao? Que somos, em ultima instancia, patrocinados por uma grande empresa capitalista (que capitalizam os Bens Comuns)

Minhas impressões Me imprecionei com a diferenca de preço da alta-tecnologia para a baixa tecnologia,