Pamphlet111111

De nuvem
Ir para: navegação, pesquisa



Transhumanidade

Versão α


_Panfleto pós-nada (...)

_HOMINI QABBID


_TECNOSFERA

_BIOSFERA

_NOOSFERA


(...)

  VERSÃO .ALPHA.


Atualizações :::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

| 7 | 22/01/2013 - 23:46 | 6 | 17/09/2012 - 02:22 | 5 | 16/03/2012 - 22:26 | 4 | 13/03/2012 - 02:02 | 3 | 28/02/2012 - 08:57 | 2 | 28/02/2012 - 01:40 | 1 | 26/02/2012 - 00:25


Esta obra (Transhumanidade - Pamphlet 111111, por Homini Qabbid), identificada por Tiago Spina,está livre de restrições de direitos autorais conhecidas.


   I              . Tecnosfera .


• No circuito integrado as trilhas são tão impessoais que não podem se cruzar, causam um bug na ordem das coisas... (1)

Na rede de alcance mundial WWW os cliques são toques no mar de dados que formam tsunamis no inconsciente pulverizados entre os 0s e 1s cruza-se o horizonte de eventos mergulhados na acronia e atopia com as frágeis personas esquizo-virtuais navega-se em estado de entropia ⎙ ao olharem através da janela nada enxergam tudo se aparenta superficial na deep web a consciência em coma e anestesiada saturada de lixo cognitivo não há Ritalina que a faça despertar do mundo do usuário final esse que acredita no fácil e nas coisas (2) certezas são criptografadas e protegidas por milhares de zumbis em seus cavalos de Tróia circuitos fechados e câmeras de vigilância protegem suas priva-cidades com filtros solares enquanto a rede de arrasto leva os deslumbrados embrulhados em plástico bolha a hiperconexão está além dos memes da tecnocracia binária maniqueísta que os hiperlinks nos transferem por simbiose ou download o vírus que nos mantém em loop infinito um bug nas variáveis do ego Conectar-se a tal e/ou tal não se chega ao Tao não há síntese ou a busca dela o Gestell arrancou os sentidos ⎙ e ao abrir os híbridos braços cibernéticos esperam um voo que nunca se realiza como experiência na temporalidade negada na programação neurolinguística sem a vontade por serem compilados não se reconhecem como espécie coletiva dentro da hiper-realidade que se retroalimenta ao clicar obsessivamente destrói a subjetividade deleta a iniciativa de viver na busca por identidade se definem se perdem nos perfis da heteronomia

assediados pelo malware instalado que conduz invisível por cabos privados interconectados como coisas interligados como seres descartáveis substituídos por modismos e descrenças no tempo acelerado que não se pensa tudo se copia, tudo se cola tudo se acredita, tudo se discorda nada se pergunta sendo assim nada se resolve, nada se salva, nem Ctrl+S que entre vogais tem som de Ctrl+Z engana-se em querer desfazer o contexto com o Ctrl+Alt+Del há uma possibilidade uma breve conexão com o microcosmo existindo em vidas bi-polarizadas no corpo e na máquina virtual a liberdade não existe somente sua sombra não se pode acreditar na realidade constituída por 3 eixos sua simulação é quase perfeita ⎙ ⎙ ⎙ ⎙ ⎙ se não fosse o efeito das layers do espaço/tempo as dimensões são infinitas mas a tendência é pensar em 11 cordas que nos atam a percepção das 4 básicas com receio vivem o carpe diem como meta enquanto o asteroide YU55 passa como  um presságio que os astros vão cair e dar lugar aos 99% anônimos ⎙ ⎙ todos encontrarão o destino HTTP 404 o firewall desse mundo terceirizado que privatiza a única porta onde não há restrição de acesso cairá como os muros da história  a brecha é tão conhecida e pouco utilizada no ciberespaço e fora dele na busca pelo SELF a consciência é a porta ⎙ ⎙ para o compartilhamento infinito... "Do digital não se chega no analógico" (3)



________________________________________________________________________________

     Anexos               .:

(1) "Não é demonstração de saúde ser bem ajustado a uma  sociedade profundamente doente."

Jiddu Krishnamurti (Filósofo indiano - 1895-1986)


 (2) Todas as coisas que podem ser comparadas, podem ser trocadas e têm um preço; aquelas que não podem ser comparadas não podem ser trocadas, não têm preço, mas dignidade.  Immanuel Kant ( filósofo alemão - 1724-1804)

   (3) Livro - Acasos e Criação Artística - Fayga Ostrower

pág. 207 - "Do digital não se chega no analógico" pág. 209 - "É verdade que mesmo chegando ao infinitamente pequeno, o digital não sabe do analógico. Porque, por mais que se acrescentem tantos termos até chegar ao 1, o 1 está infinitamente longe, em número de dígitos do 0,99999...ao 1. É essa a barreira entre o digital e o analógico - é o infinito. O próximo, infinitamente distante.  

         [ Vídeos ]		

Zeitgeist Addendum - Legendado em Português (PT-BR)

https://www.youtube.com/watch?v=WNblnDr4OG4 A SERVIDÃO MODERNA (2009)

http://youtu.be/B7hSxm67izU


. A esfera do sagrado pós-nada...








 			  	.       Enquanto os corpos se encontram em suas órbitas

permanecemos na dissolução de nossos corpos terrenos... 





   II             

. Biosfera .


O corpo que espelha o outro se confunde no julgamento que sempre retorna seu reflexo... Reconhecer-se como espécie seria um passo a frente? Advimos do útero inconscientes de nós O organismo está vivo à medida que a consciência dorme indivíduo membro uma espécie que se condena bípede que sempre rasteja em dogmas e verdades animal que acredita e mamífero que consome voraz-mente vertebrado de fragilidades clonadas por células sem tronco e de raízes hereditárias o código é genético não a ética reproduzimos o sexo em laboratórios como autômatos cegos arranca-se os pelos e implantam-se chips silicones e uma gama de sugestões Nada pode envelhecer a feiura é uma doença na crença de que tudo é novidade o novo fake de sempre As pílulas mantêm os corpos inertes e as mentes esti(e)muladas geneticamente modificadas o controle é pelo Lítio com hormônios e pesticidas metais pesados e agrotóxicos não percebe-se os membros cibernéticos a janela de agora é o olho câmera somos mais que impulsos elétricos disfunções, distúrbios e nomenclaturas somos corpos na infância de nossas consciências o invólucro que limita e protege de nossas criações um corpo que depura a vontade para sermos.


. Isso não é uma máquina...


   III             . Noosfera . ⎙   O existir é o eterno relembrar daquilo que se é

e esquecer logo em seguida...

Para dividir basta o ponto . (ego) Para unir nada é preciso  ⎙ Quando se coloca o eu no mundo principia a multiplicidade das aparências a projeção do desejo e do utilitarismo o anti-nada assume a defesa nos fragmenta em nanopartículas deixamos de ser o eixo de nossa existência quando buscamos sinais de evidências que possam nos lembrar quem somos

Para ser absoluto tem que ser 0 Ao transformar teoria em experiência o ser desperta no abismo das incertezas onde se encontrão as reações o fato é modificado ao compreender as ondas são efeitos e não pausas no pêndulo do tempo não linear Na busca por escrituras já somos a negação do 0 Nós geramos o mundo e ele nos gira O presente tem essa função e não o futuro estamos aqui para desaprender

Silencie... mesmo que isso leve a vida toda

O nulo. 1+1= 0 sim, não há segredos nem conspirações só uma grande quantidades de 1s que fazem questão de olvidar que só o 0 pode ser o ouroboros...




Humam Kernel 0.1 Alpha Reboot Yourself



Frequência Beta | Alfa | Teta | Delta    �



Transhumanidade - versão Alpha 0.1 - Homini Qabbid - #2013 - ☻